13.2.09

Artigo em topónimos

Imagem: http://www.porto.taf.net/

Erro, disse ela



      Na madrugada de quinta-feira, o bibliotecário de Babel, isto é, José Mário Silva, partiu de Santa Apolónia para… para onde? Para a Campanhã ou para Campanhã? Estão decerto recordados do meu conselho: perguntem, nunca foi tão fácil, a alguém que resida na localidade. Não precisei de o fazer, pois a leitora Bárbara Rocha escreveu-me: «Eu sou do Porto e nunca ouvi ninguém de lá dizer que vai “à” Campanhã ou que vem “da” Campanhã». No Jornal de Notícias, um simples relance aos títulos dilucida a questão: «Casal vive isolado em Campanhã», «Junta de Campanhã contra prova de motos», «Incêndio em Campanhã destrói prédio», «Europeu feminino na piscina de Campanhã»…

4 comentários:

Manuel Leitão disse...

Pois é! Eu (que durante anos interroguei e me interroguei com a mesma dúvida), aprendi a regra graças ao seu post de 12 de Agosto de 2006, "Artigo em nomes de localidades". Aí explicou como é que se sabe (mesmo sem perguntar aos locais...)se é "no", "na", "nos" ou "nas" ou simplesmente "em": ser substantivo comum ou não ser, eis a questão. E agora adeus! Estou em Campanhã mas tenho que ir para a Cantareira...

Helder Guégués disse...

Caro Manuel Leitão: não estava esquecido desse texto de 2006 — mas infalível mesmo é perguntar aos locais.

Anónimo disse...

Obrigado, Helder.
Ser "sulista", neste caso, não ajuda.
:)
Vou corrigir.
Um abraço,
José Mário Silva

Helder Guégués disse...

Não ajuda mesmo, José Mário.
Um abraço,
Helder Guégués