9.2.09

Tradução: «lawn chair»


Cadeira, sim, mas qual?

Caro João Mendes, não, não acho que todas as cadeiras sejam de descanso. A cadeira eléctrica, por exemplo, não o é, não concorda? De resto, também na língua o todo é diferente da soma das partes. Uma cadeira de descanso será algo semelhante ao que temos na imagem. Ora, decerto que não é numa destas cadeiras que trabalha no seu escritório ou come à mesa ou consulta o seu advogado. Já quanto a não encontrar a expressão (e, por vezes, palavra, lawnchair) no Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora, não é nada de surpreender, só de lamentar.

4 comentários:

Nuno Matos disse...

"Aquilo para que gostaria de preparar o leitor para encontrar aqui, é a grande realização do estilo, a beleza da expressão(...)" T.S. Eliot no prefácio a "Um Bosque da Noite" de Djunta Barnes, edição da Relógio d'Água.

Aquela vírgula está ali a mais ou é só impressão minha? O sujeito da frase não é exactamente o que aparece antes dela e o predicado não é a palavra que lhe segue?
Nas edições da Relógio d'Água costumo confiar, mas neste caso parece-me um erro crasso. Ou estarei errado?

Helder Guégués disse...

Erro crassíssimo.

Anónimo disse...

Lá mais para trás, já se falou no desnorte do Diário da República, no que respeita ao uso da língua. E não é preciso ir ao texto das leis. Os sumários também dão matéria. Veja-se esta frase repetida em seis portarias do Ministério do Ambiente, em 29/1/09: "Determina que a época balnear é fixada de ... a ...".

Helder Guégués disse...

Quem sabe se a redacção não é dos seguranças, eles agora fazem polivalentemente tudo, de despejar cinzeiros a fazer triagem de situações, na Segurança Social.