15.2.11

Como se escreve nos jornais

Imagem tirada daqui
Não têm pena

      Patrícia Viegas, do Diário de Notícias, entrevistou Paola D’Agostino, tradutora, escritora e professora de Italiano que vive em Portugal desde o ano 2000, isto porque a «escritora integrou a manif anti-Berlusconi». A determinada pergunta, Paola respondeu: «Falo das raparigas envolvidas nos escândalos e a quem são feitas por vezes promessas que ninguém chega a cumprir. Elas oferecem o seu corpo e algumas são ministras e deputadas no Parlamento. Mara Carfagna, que também já foi velina, é agora ministra da Igualdade de Oportunidades — que é um ministério que merecia mais dignidade» («“Italianos perceberam que havia um proxenetismo de Estado”», Patrícia Viegas, Diário de Notícias, 15.02.2011, p. 56).
      Cara Patrícia Viegas, por acaso não se esqueceu de perguntar o que significa «velina»? Assim, sem qualquer explicação (e olhando para a fotografia da senhora ministra), começamos a formar no espírito uma certa ideia. Contudo, no Il Sabatini Coletti, lemos que «velina» é a «valletta di trasmissione televisiva che parodia i telegiornali». As vallettas italianas não são, como as nossas, coisas sujas, antes raparigas atraentes que servem de ajudantes do apresentador de um programa televisivo. (Quanto a «bunga-bunga», dispensamos esclarecimentos. É o nosso, não dicionarizado, «truca-truca».)
      Temi o pior, até porque já tinha ficado espantado com um cartaz na tal manif em que se podia ler «Berluscona». É que os manifestantes, todos com cara de italianos, já passaram por um processo de aculturação...

[Post 4437]

8 comentários:

C. Kupo disse...

Desta vez o Helder caprichou no apelo visual.

Paulo Araujo disse...

Estranhei 'manif', consultei o Dicionário da Porto e lá está; e já que se está tratando de televisão, 'telespectador' não fica tão ruim...

Anónimo disse...

Perante isto já se compreende que certo «cavaliere» já provecto esteja a ficar... marado, ultimamente.
- Montexto

Anónimo disse...

Também reparei em «manif», mas acabou por me esquecer.
Estes casos, como «manif» e «prof», não ficariam melhor em «manife» e «profe», até para o caso de se formar o plural?
Lembro-me de ver isto tratado, e cuido que se concluiu também assim, mas já não me ocorre por quem. Como a livralhada me está longe, para já não possa averiguar.
- Montexto

Helder Guégués disse...

Montexto, eu próprio já aqui concluí que devia ser manife, mas remeti para outro texto. Alterei agora essa remissão.

Anónimo disse...

Bem me parecia... Acho que concluiu bem.
- Mont.

Paulo Araujo disse...

Por aqui usa-se 'profi' (com a devida oxitonia) para designar as moças de vida, digamos, airada.

C. Kupo disse...

Daí é redução de "profissional", suponho. Profissional do sexo? (Um eufemismo cara-de-pau.)