15.2.11

Acordo Ortográfico

Tempos negros

      Do fundo da redacção, um editor-chefe perguntou se, com o novo acordo ortográfico, se passava a escrever «connosco» só com um n. Esta gente nunca irá ler o texto. Lembrei-me deste episódio agora quando vi que alguém pesquisou «conosco ou connosco português correcto 2011» e veio ter a este blogue. O texto do Acordo Ortográfico de 1990 nem sequer fala especificamente de pronomes pessoais. Em Portugal, escreve-se e continuará a escrever-se «connosco», com dois nn. No Brasil, escrevia-se e continua a escrever-se «conosco» com um n.
      Lembram-se do meu «laboratório»? Pois agora uma professora, e uma das mais espevitadas, afirma (e não só falou, senão que escreveu, o que é pior) que terá de aceitar as grafias dos alunos que estejam em consonância com a norma, e exemplifica: «fenômeno, fato». Ah, se isto fosse só um filme e pudesse mudar-se de canal...


[Post 4436]

13 comentários:

Anónimo disse...

E uma das mais espevitadas? — Sabemo-lo: a ignorância é audaz; a sabedoria, prudente.
— Montexto

Anónimo disse...

E tempos discordantes:
«Nenhum dos seus retratos deixaram um rasto de indiferença; pressente-se um rumor, um gesto, um mundo à espera» (F. J. Viegas, crónica de ontem, em linha, sobre G. Castello Lopes).
— Montexto

Jose disse...

Mudar de canal? Vai chegar a ponto de ter de desligar a televisão, tantos serão os egícios.
Cumpts

Bic Laranja disse...

Mexeram-me no computador. O comentador José sem acento não é ele, sou eu.
Cumpts.

C. Kupo disse...

O Bic tem essa ideia fixa com os egípcios...

Bic Laranja disse...

É a primeira raça abortográfica da imprensa portuguesa.
Há-de haver engenheiros licenciados ao fim-de-semana só em egitologia, que julga?!...
Cumpts.

C. Kupo disse...

Julgo que a mudança na grafia, por mais que lhe doa, não mudará o objeto de estudo.

R.A. disse...

Quem é contra o Acordo não está dispensado de o ler. Pela "nova" norma ortográfica, aprovada democraticamente há mais de 10 anos pelas entidades com poder para tal (AR e PR), eis como se deve escrever: «Os egípcios do Egito são bons em egiptologia

Pode não se concordar mas não se pode dizer que o Acordo diz o que não diz.

Outras frases curiosas: «Os epiléticos sofrem de epilepsia», «Os produtos lácteos são laticínios».

Havemos de nos habituar. Haverá sempre quem resista à mudança, alguns à bengalada...

Anónimo disse...

Perdoem-me a ignorância, mas o objectivo deste acordo não era uniformizar a ortografia portuguesa com a brasileira?

É que são tantos os casos de palavras que continuarão a ser escritas de forma diferente, que me pergunto qual será o verdadeiro objectivo do acordo?

Anónimo disse...

Essa taxo-a eu de pergunta pertinente, caro anónimo último.

*
Quanto ao penúltimo: decididamente, o homem é «maso», mas eu não sou «sado», de modo que não teremos mais sessões de bengaladas. Fique pois também em paz e às moscas.
- Montexto

Bic Laranja disse...

@ Kupo
Tem razão sobre o objecto da Egiptologia. A mutilação da grafia não me dói. O que me custa é ter as azémolas que na escola primária apanhavam valentes reguadas pelos ditados cheios de erros e que não conseguiam fazer uma redacção sem errar logo a palavra do título hoje fazerem leis em Portugal.

@ R.A.
Tanta coisa para aprender vem logo o cavalheiro recomendar-me um dejecto em letra de forma dumas cavalgaduras que nem conta se dão que 'fêmea' leva sempre circunflexo desde que se escreve com acento (Base IX, 3º). E já que agita a bengala, digo-lhe pela colecção de disparates que para aí enumerou, que aos cabrestos que foram capazes de a gerar, um pampilho pelos lombos ou uma garrochada na cernelha não se perdia nada.
Cumpts.

Bic Laranja disse...

Cuido que se percebia mas cá vai a corrigenda:
@ 1º
...hoje a fazerem leis...
@ 2º
Tanta coisa para aprender e vem logo o cavalheiro...

R.A. disse...

Chama-se a isto argumentar! Convenceu-me!