20.2.11

«Moto-quatros»?

Só se for nas pampas

      «O gaúcho é uma personagem da pampa, rebelde e insubmissa, que resume a identidade da Argentina. Mas está em vias de extinção, encurralado pelo avanço da soja e da produção de gado intensiva. “Em muitos campos, em vez de cavalos há moto-quatros para juntar o gado”, diz Lisandro Foral, enquanto conduz o seu todo-o-terreno pela fazenda de 3800 hectares de que é encarregado, sempre atento ao telemóvel e ao GPS» («Gaúchos ameaçados pela tecnologia», Oscar Laski, Diário de Notícias, 20.02.2011, p. 33).
      Oscar Laski não tem culpa: o texto é uma tradução. O plural de «moto-quatro» (o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista «moto quatro») é «moto-quatros»? Haja paciência! Quer dizer, fica invariável a palavra variável e varia a palavra invariável?

[Post 4467]

1 comentário:

Jorge disse...

Isto resolvia-se de vez eliminando estes peçonhentos hífens. Aglomerando, aglutinando. Motoquatro, motoquatros. Pronto. Pura limpeza.

Até porque é esse o caminho que a língua segue, há exemplos por aí aos pontapés. Isso mesmo, pontapés, não pontas-pés (pontas-pé?). Apressemo-lo, pois.