10.4.11

«Enformar/informar»

Dar forma a

      «É evidente que dentro de um critério estritamente formal é isto um pecado contra a economia que deve enformar qualquer sequência narrativa e a fluência do plano que esta pressupõe» (Vida e Obra de Raul Brandão, Guilherme de Castilho. Lisboa: INCM, 2006, p. 234). «Ferrerinha, primeira vinicultora do Alto Douro, dera o nome à firma, e assim se chamava desde longe e se chama ainda. A designação, pelo feminino, participava ao tempo do espírito que enformava as coisas inglesas sob o signo da rainha Vitória» (O Romance de Camilo, II, Aquilino Ribeiro. Lisboa: Livraria Bertrand, 1974, p. 271).
      Para o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, enformar é «dar forma a» — e só se pode, nesta acepção, escrever assim, ficando o parónimo informar reservado para outras acepções. Para o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, esta acepção é partilhada por ambos os verbos, ou seja, «dar forma a» é indiferentemente «informar» e «enformar». Nesta acepção, sempre usei somente o verbo «enformar». E os meus leitores?

[Post 4675]



13 comentários:

Anónimo disse...

Nunca vi «informar» ser usado nessa acepção de «dar forma a». Penso que se trata de um erro do Priberam.
RS

Anónimo disse...

Também sou da sua opinião.
Enformar é dar forma a...
Fui verificar ao Priberam e parece que acolhe o verbo "informar" como signficando "dar forma a..." (ponto 4)
Mas, clicando em "enformar" já não aparece como sinónimo de "informar".
Será um lapso do Priberam ?

Paulo Araujo disse...

No Houaiss:
"informar v. (sXIV cf. FichIVPM) 1 t.d. FIL na escolástica, dar forma a (uma matéria)"

Paulo Araujo disse...

No Grande Dicionário Sacconi:
"in.for.mar (ìn) v.t.d. 1.Arcaísmo Dar forma a (matéria)."
'Uma só alma que informava os três corpos'(Vieira, abonando a acepção no Aulete original-1987).

Anónimo disse...

Aí reina grande confusão, para não variar. Basta consultar o Aulete Dig. e o Bluteau, Morais e Silva Pinto aqui ao lado. O Bluteau regista enformar e informar indiferentemente. Para o Morais enformar é só meter na forma qualquer obra, que se faz em forma, assim como para o L. M. Silva Pinto. Mas informar, além do mais, pode ser informar a alma o corpo, vivificá-lo: almas trouxe a informar seu primeiro cadáver; informa o gesto, i. é, tomar o gesto [aspecto]; informar, dar forma a obra informe, cujas partes estão desmembradas. E cita abonações, inclusive Vieira.
Eu diria que a prática antiga restringiria o uso de enformar ao sentido literal e material de meter em forma obra manual; e para o sentido espiritual e figurado usava informar; neste último sentido enformar aposto dobrado contra singelo que só se encontrará em autores já do séc. XX, ou pouco antes.
Mas veja-se mas é a Portuguesa e Brasileira.
*
A propósito de Raul Brandão, aconselhei hoje a leitura das Ilhas Desconhecidas a uma amiga. E fui confirmar um barbarismo meu velho conhecido que muito me desedificou quando o pilhei em autor tão recomendável. Lá está, em passo agora agravado com uma gralha: «9 de Julho
[...] A cabina reduz de propriedade e a sua beleza geométrica consiste em não ter de mais nem de menos» (ed. Perspectivas & Realidade, p. 12). «Propriedade» por «limpeza», deuses imortais, francês puro. A gralha, «reduz» por «reluz».
É assim que se editam os clássicos entre nós!
— Montexto

C. Kupo disse...

Se você, Montexto, não me advertisse para a gralha e o francesismo, eu nunca extrairia nenhum sentido dessa frase.

Quanto à pergunta do Helder, devo reconhecer que nunca precisei de usar "enformar" até hoje em minha vida. Estou perplexo com essa constatação. Mas agrada-me essa distinção entre "enformar" e "informar", tal como o Montexto a explica.

C. Kupo disse...

Ah, "constatar" é galicismo também, não é?

Anónimo disse...

É, mas caiu muito no goto dos modernos, que se pelam e bebem os ventos por esta francesia, de que fazem grande gasto, bom proveito lhes faça.
— Montexto

Anónimo disse...

Depois de ler isto em José Pedro Machado (Dic. Etim. da Líng. Port, 2003), compreende-se melhor que Dom Rafael Bluteau embrulhasse num só registo ou verbete as vozes «informar» e «enformar». Acabemos por onde devíamos começar: «INFORMAR, v. Do lat. informare, “modelar, formar; fig., representar idealmente, descrever; modelar, dispor, organizar; formar no espírito”. Séc. XVI: “Informa o cauto Gama das armadas...», Lus., IX, 7. A var. “enformar” também no séc. XVI: “... nos deixamos ahy estar todo aquelle dia, enformando-nos muyto miudamente do que convinha...”, Peregr., cap. 36, vol. II, p. 17.»
— Conclusão: em rigor tanto podeis empregar «informar» por «enformar» no sentido de «dar forma a», como podeis empregar «enformar» por «informar» no sentido de «dar informação, avisar».
— Conselho (escusado porque seguido por toda a gente): talvez melhor reservar «enformar» para «dar forma a», e «informar» para «dar aviso», e talvez para aquele velho (e raro) sentido de «vivificar» em casos quais os aludidos no Morais.
Para confusões, já basta assim.
— Mont.

Anónimo disse...

Pergunta: existe algum dicionário que defina «informação» como «acto ou efeito de dar forma a»? Penso que não. Logo, usar «informar» em vez de «enformar» no sentido de «dar forma a» parece-me, hoje em dia, absurdo. Nada justifica regressar ao século XVII. Mantenho a minha posição inicial: erro do Priberam. (A alternativa seria fazer como no Sacconi: classificar essa acepção como um arcaísmo.)
RS

Anónimo disse...

Oh homens de pouca fé!
Perante a reacção dos incréus, ou incréu, ouçamos a infalível: «INFORMAR, v. t. Dar forma a, formar, enformar: “Apreendeu... tão dolorosamente o tormento, e a ofensa daqueles cravos, que os transformou, e os informou, e os vivificou em si mesmo” (António Vieira, Semões, XII, 14, § 4, n.º 383, p.351). [Passo mais sagrado e consagrado não encontrais.] [...] Contornar, modelar, dar configuração a: informar uma imagem. [...] O mesmo que “enformar”, tomar corpo. [...] (Do lat. informare)» (Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, sim, a tal.)
Mas para que perco eu tempo com quem já sabe tudo? Por alguma aberração masoquista assolapada, decerto...
— Montexto

Anónimo disse...

P.S. — É claro que sempre resta a hipótese de negar que a Portuguesa e Brasileira seja um dicionário, ou um dicionário actual. Já se negaram coisas bem mais evidentes e até apodícticas, e estão sempre a negar-se. Haja vista o último congresso do PS, para não ir mais longe.
— Montexto

Anónimo disse...

«INFORMAR» no sentido de dar forma a, formar, e como no exemplo de Vieira, verifico agora que também se usa em francês, como se vê no Trésor aqui ao lado, a que ajunto este passo de Gide: «C’est par l’homme que Dieu s’informe, voilá ce que je sens et crois, et ce que je comprends dans la parole: “Créons l'homme a notre image”» (Journal 1887-1925, 30 de Jan. de 1916).
— Montexto