12.6.09

Erros jornalísticos

Arre, que é de mais!

      «Tendo em conta que as peças de mobiliário do castelo já haviam sido vendidas em leilão (no total foram arrebatados por um valor de dez milhões de euros), o príncipe Walid tornou-se “apenas” dono de uma propriedade com 1500 m2» («Castelo dos Bruni vendido a saudita», Diário de Notícias, 31.05.2009, p. 33). O jornalista sabia que era arre-qualquer-coisa. Arreatados? Arrebanhados? Arrebentados? Arredados? Arrefanhados? Arreganhados? Não, não. Arrebatados, é isso. Mas arrebatado é levado pelos ares, transportado em êxtase; extorquido, tirado; roubado. Mas num leilão… Nos leilões, os bens licitados são arrecadados ou arrematados. Pobre Diário de Notícias, pobres leitores…

7 comentários:

Anónimo disse...

Penso que a palavra mais apropriada, neste contexto, é «arrematados».

Fernando Ferreira

Alfredo M B Caiano Silvestre disse...

Bom dia.

Não poderão ser "arrematados"?

Anónimo disse...

Não será que o jornalista queria dizer "arrematados"?

Anónimo disse...

Arrematados! Se bem que, dado o valor que o comprador pagou dar a entender o apreço que ele tinha pelos bens, arrebatados parece-me uma belíssima figura deestilo.

Helder Guégués disse...

Também.

Helder Guégués disse...

Sim, o verbo mais específico é «arrematar»: comprar em leilão ou hasta pública.

Anónimo disse...

Foi um arrebatamento do jornalista!