25.7.09

Major/minor

Alguém que explique

      «He», seja lá quem for, «majored in chemistry.» Será judicioso (porque fácil é) traduzirmos «concluiu um major em Química»? Na frase, major é em inglês um verbo intransitivo (mas decerto que ainda se recordam da aluna que se quer «mestrar») que significa «to pursue an academic major», sendo que este substantivo significa «an academic subject chosen as a field of specialization». O modelo major/minor, que é muito comum nas universidades norte-americanas, foi, ao que pude apurar, instituído em Portugal pela primeira vez pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É ainda, mesmo após a sua adopção pelo Processo de Bolonha, matéria estranha mesmo aos estudantes universitários. A minha interpretação é que o major constitui a formação de base conferida pela licenciatura, ao passo que o minor é uma especialização. Contudo, o Dicionário Inglês-Português da Porto Editora dá a seguinte tradução de major: «Estados Unidos da América, Canadá, Austrália (curso universitário) especialidade, especialização». Alguém que explique.

11 comentários:

Anónimo disse...

Engano! Sou da Universidade Nova e garanto que em Portugal um major ou minor é uma escolha que se pode fazer no ultimo ano de licenciatura em que se vai fazer um leqe de cadeiras obrigatórias a uma outra área que não a inicial de licenciatura. Aliás basta comprovar no site da faculdade ou de qualquer outra visto que essa informação está disponível e acessível a qualquer um. Bom trabalho!

Anónimo disse...

Minor é a área complementar que se pode fazer ainda dentro da licenciatura mas no último ano enquanto que o major é a área dominante da licenciatura.
É uma opção. Ou estudas tudo numa só área ou no ultimo ano de licenciatura podes ir buscar uma outra área.

Anónimo disse...

Pela minha experiência, a interpretação do Helder não anda muito longe da realidade: «major» como formação geral (ou principal, ou de base) e «minor» como formação complementar (nem sempre equivalente a especialização). O que acontece é que o leque de possibilidades é muito variado. O «minor» pode, efectivamente, ser numa área curricular diferente da do «major», como por exemplo "«major» em Física, «minor» em Antropologia", e nesse caso não se trata de uma especialização. Mas também pode ser numa subárea do «major», como por exemplo "«major» em Física, «minor» em Astrofísica" ou "«major» em Química, «minor» em Bioquímica", e aqui a interpretação de «minor» como especialização já faz sentido. E há ainda outros casos, como o de "«major» em Ensino de Física e Química, «minor» em Física", onde o «minor» é simplesmente uma formação mais sólida numa das áreas de base (neste caso, na Física), mas não propriamente uma especialização.

Fernando Ferreira

Helder Guégués disse...

Obrigado a todos, e especialmente a si, caro Fernando Ferreira, pela insuperável clareza com que sempre exprime as suas bem informadas opiniões. Posso deduzir, então, que traduziria a frase «he majored in chemistry» não como alguém o fez e eu refiro, mas «[ele] formou-se em Química»? Ou «licenciou-se», ou «obteve a licenciatura»...

Anónimo disse...

Caro Helder:

Obrigado pelas suas palavras.
Sim, qualquer das opções que sugere parece-me perfeitamente adequada.

Fernando Ferreira

Anónimo disse...

O 2º anónimo está correcto. Posso assegurar porque tive de escolher se queria ou não um minor. Passo então a explicar que o major corresponde á licenciatura "base" e o minor é uma opção que surge no último ano que poderá ou não interessar os alunos ao no último semestre fazerem um leque de cadeiras obrigatórias em outra área que não a de licenciatura, ou seja, um minor. Por exemplo licenciatura em Sociologia e no último semestre em que ainda não estamos licenciados fazer um minor em linguística, tradução...

Jorge disse...

Que grande confusão vai para aqui.
Como docente da UNL, mais concretamente da FCSH, posso afirmar o seguinte, válido pelo menos nesta instituição.

Major: era o equivalente à licenciatura (240 ECTS, embora por vezes fosse tomado pelos 180 ECTS de formação comum (sem as áreas de especialização); desapareceu com a reforma de Bolonha.
Minor: Uma introdução (estruturada) a uma área DIFERENTE daquela na qual se está a fazer a licenciatura. Exemplo: um aluno de Sociologia pode, no conjunto das disciplinas de opção livre (i. e., fora do tronco comum e da área de especialização, que continua a ser algo interno à Sociologia), fazer um Minor em literatura, em ciências da comunicação, etc.

Esclarecimentos adicionais:
-- Último ano? Tudo depende de onde «cabem» as disciplinas de opção no plano curricular. Na maior parte dos casos, estas podem ser parcialmente feitas já no segundo ano e, em casos mais raros, logo no primeiro.
-- Major em Física, Minor em Astrofísica? Pelo menos na UNL, não! Isso é confundir a área de especialização (sub-área) com o minor.

Anónimo disse...

Caro Jorge:
Acredito nas suas palavras quando diz que na UNL é assim. E admito que em outras universidades também possa ser. Mas não pode generalizar a partir desse(s) caso(s). Como eu disse antes, o leque de possibilidades é muito variado, e vou dar-me ao trabalho de referir exemplos concretos, para que não fiquem dúvidas.
1. «Major» em física, «minor» em astronomia na Universidade do Porto: ver em
http://faraday.fc.up.pt/fis/courses/planosTrans/FisMatAplicadaAstronomia%20para%20Major%20de%20Fisica%20Minor%20de%20Astronomia.pdf
2. «Major» em química, «minor» em bioquímica na Universidade do Algarve: ver em
http://www.fct.ualg.pt/dqb/hub.php?id=44
3. «Major» em física, «minor» em astrofísica na Ohio Wesleyan University: ver em
http://physastro.owu.edu/majorsAndMinors.html
(Excertos: “A student may not major in both physics and astrophysics, or major in astrophysics and minor in physics.”, mas “A student may major in physics and minor in astrophysics.”)
4. «Major» em física, «minor» em biofísica na National University of Singapore: ver em
http://www.physics.nus.edu.sg/corporate/student/minor_biophysics.html
(Excerto: “Students of ANY major may read the Biophysics Minor, including Physics and Life Sciences majors.”)
Incluí também dois exemplos no estrangeiro, não fosse alguém pensar que somos nós, portugueses, que estamos a desvirtuar o significado do conceito «major/minor».
Um último apontamento: «subárea» não leva hífen; o elemento «sub» só se liga por hífen ao elemento seguinte quando este começa por b, h ou r.
Fernando Ferreira

Jorge disse...

Caro Fernando Ferreira,

Certíssimo (incluindo a correcção a «subárea»).
Quis esclarecer o que se passa na FCSH-UNL (e que pelos vistos não deve mesmo ser generalizado), onde ainda assim despontavam algumas confusões.
Parece-me que o facto de os termos serem aparentemente (recém-)importados dos sistemas anglo-saxónicos (apesar de terem origem latina) conduziu a essa dupla interpretação: nuns casos, especialização em subárea, noutros área complementar mas distinta.
Pelo menos «major» não é tão equívoco: traduzi-lo por «licenciatura» será, apesar de algumas variações, suficientemente fiel.

Anónimo disse...

Em 1999, já o curso de Engenharia Electrotécnica do Técnico tinha majors e minors. Não sei quando isso terá entrado em vigo na Nova, mas parece-me algo mais recente.

bento UP disse...

Encontram uma descrição que me parece bastante completa em http://wiki.answers.com/Q/What_is_the_difference_between_a_college_minor_and_major.

Espero ter ajudado :)