13.1.11

Tradução

Por Zeus!


      «Karim pensou na frase do filho de escrava Archilochos, que se tornara para ele um leitmotiv: “Muito entende a raposa; o ouriço, pelo contrário, apenas sabe uma coisa» (Crimes, Ferdinand von Schirach. Tradução de João Bouza da Costa e revisão de Clara Boléo. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2010, p. 65).
      Não há, creio, duas interpretações: isto é falta de cultura geral. Por pouco, ficava em grego: Ἀρχίλοχος. Francamente. Então não se trata do poeta grego Arquíloco, que renovou a poesia ao introduzir o verso jâmbico (ou iâmbico, se quiserem)? E o nome até mereceu uma nota de rodapé, mas, ainda assim, não se fez luz.

[Post 4315]

4 comentários:

Bic Laranja disse...

Típica falta de cultura clássica. Já não leva emenda.
Cumpts.

Anónimo disse...

Receio que a coisa se explique mais uma vez e sempre como efeito e recordação da ingresia. Como se escreve Arquíloco em bife? Não será Archilochus? Se for, está explicado.
- Montexto

C. Kupo disse...

Lamentável, deveras.

Bic Laranja disse...

O bárbaro é 'Archilochus', sim senhor. Mas sempre havia os Índices... de Maria Helena Prieto, et al.
Cumpts.