3.2.11

Ortografia: «esfuziante»

Fuzilados


      Há erros que parecem resistir a tudo. Mas não: talvez só resistam a uma má revisão. Por exemplo, aquele A Caminho de Santiago, de Ana Saldanha. É a 2.ª edição, revista e alterada, e passou mesmo do Campo das Letras para a Editorial Caminho, mas os erros continuam. Vai um: «— Santiago, aqui vamos nós! — grita, esfusiante, e a mãe olha para ele de lado e pergunta» (p. 23). Afinal, não são só os «jovens» que escrevem com erros... Mnemónica: é com z porque vem de «fuzil».

[Post 4386]

4 comentários:

Francisco Agarez disse...

Em casos como este parece-me errado chamar 2ª edição ao que não passa de uma reimpressão.

C. Kupo disse...

Mas foi "revista e alterada", conforme o próprio Helder salientou. Só não significa que tenha sido completamente expugarda de todos os erros da primeira.

Anónimo disse...

A mnemónica seria útil se quem fez a revisão soubesse que o correcto é «fuzil» e não «fusil». Mas será que sabe? É que já tenho visto este erro tantas vezes...

RS

Francisco Agarez disse...

Tem toda a razão, C. Kupo. Mas é caso para perguntar como seria antes das tais revisão e alteração.